quinta-feira, 18 de abril de 2019

Inauguração do “Memorial Aristides de Sousa Mendes- 65 anos de memórias”


O dia 3 de abril foi um dia de grande emoção, a inauguração do “Memorial de Aristides de Sousa Mendes – 65 anos de memórias”, na Escola Básica de Cabanas de Viriato, da qual este herói é patrono, marcou de forma indelével o Agrupamento e a comunidade.
Este Memorial é constituído por um painel das pranchas do livro de Banda Desenhada do Mestre José Ruy, “Aristides de Sousa Mendes, herói do holocausto” e a ideia surgiu no ano passado, aquando da atividade “Encontro de Autor” com este artista gráfico. A oferta das referidas pranchas a esta Escola, pela mão da equipa UNESCO, possibilitou a iniciativa. O autor, gentilmente, acrescentou uma atualização da última edição do livro, contendo as homenagens prestadas a este herói desde 2004, incluindo várias homenagens prestadas na região, como o ”Tributo ASM-2004”, o “Cordão Humano ASM-2014”, o teatro NACO, “Aristides - o Musical” da Contracanto, a atribuição da Grã-Cruz da Liberdade a título póstumo, pelo Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, o acolhimento de grupos visitantes e descendentes de Vistos de Aristides de Sousa Mendes à Casa do Passal, pela Sousa Mendes Foundation e pela FASM, assim como a atividade do Projeto “Dever de Memória” do Agrupamento, que fez chegar à equipa para integrar o Memorial. Um privilégio e uma honra!
No ato da inauguração estavam, para além dos alunos do 5º D e 6º, acompanhados pelas  professoras Elisa Morais e Filipa Neves, o Presidente do Conselho Geral, Eng. Ricardo Seabra, membros da Direção do Agrupamento e da Coordenação do Estabelecimento e algumas entidades convidadas, tais como o Presidente da Assembleia Municipal, Dr. Jorge Gomes, o Vice- Presidente da CM, Dr. José Batista. Estes últimos proferiram palavras de enaltecimento deste humanista do concelho e que, por isso, faz sentido este Tributo, ainda mais na Escola da sua terra, sublinhando que ele deve ser um “farol” para as sociedades de hoje, sendo cada vez mais premente que a educação divulgue este testemunho aos mais jovens, face aos extremismos e à violência no mundo.

A Vice-Diretora do Agrupamento, Drª Mª João Marques, pronunciou-se sobre a importância do incansável trabalho de homenagem e divulgação deste Justo entre as Nações, pela Equipa UNESCO, Dores Fernandes e Josefa Reis que enaltece o agrupamento e o concelho.
A coordenadora do Projeto, Dores Fernandes, fez o enquadramento da atividade e agradeceu a todos os que contribuíram para a sua concretização, nomeadamente ao Mestre José Ruy, ao Diretor Hermínio Marques que, desde a sua génese, acarinhou a ideia, à Drª Mariana Abrantes pelo apoio prestado, à Câmara Municipal que generosamente patrocinou os painéis, à Coordenação do Estabelecimento e a todos os assistentes operacionais desta Escola, que como já é habitual, primam para que nada falhe, bem como ao Senhor Armando, que não se poupou a esforços para organizar a exposição em tempo útil e finalmente à sua companheira de equipa por sonhar e fazer a obra acontecer!

Estiveram, ainda, presentes, o Presidente da Junta de Freguesia de Cabanas de Viriato, Sr. Nuno Seabra e a Dra. Mariana Abrantes, em representação da SMF, que dirigiu palavras de apreço pela iniciativa e anunciou que, no verão, o grupo de descendentes de judeus salvos pelo visto do cônsul Sousa Mendes voltará a Cabanas de Viriato, iniciativa da SMF e que esta escola fará parte do roteiro da visita. Marcaram presença também os jornalistas do Farol da Nossa Terra e do Diário de Viseu, Sr Lino e Drª Eduarda Macário respetivamente, que fizeram a reportagem, assim como alunos do curso CEF de Fotografia que, orientados pela professora Isabel Várzeas, registaram o momento.
Esta homenagem ao “Justo entre as Nações” foi um momento que se revestiu de grande simbolismo e emoção. Antes do descerrar do Memorial dois alunos do 5º D, sob orientação da Professora Elisa Morais, leram de forma expressiva estrofes do livro de poesia de Hermínio da Cunha Marques “O Cônsul Aristides de Sousa Mendes em rimas de acentos humanitários”.
A finalizar, e para brindar este momento, a partilha de chá e de bolo decorado, com a imagem emblemática do evento, proporcionou um caloroso convívio entre os intervenientes. 
Para memória futura fica nos anais do Projeto UNESCO mais uma missão, um Dever de Memória cumprido!
                                                                                                     Dores Fernandes e Josefa Reis
Fotos: Josefa Reis e CEF de Fotografia


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Projeto “Dever de Memória” acolhe alunos do Agrupamento de Escolas de Stª Comba Dão



Os dias 30 de janeiro e 6 de fevereiro, ainda a assinalar o Dia Internacional das Vítimas do Holocausto, encheram o nosso coração. Dando continuidade à componente pedagógica do Projeto “Dever de Memória – Jovens pelos Direitos Humanos”, a equipa acolheu e orientou a visita ao jazigo, onde jaz Aristides de Sousa Mendes (no cemitério de Cabanas de Viriato) e à Casa do Passal, em jeito de homenagem a este herói, das turmas de 9º ano, acompanhados pelos professores do Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão, no âmbito do projeto “Sound of Silence” que se encontra a dinamizar. No segundo dia, foi anfitrião na Casa do Passal, o membro da FASM, Dr. Luís Fidalgo que gentilmente cedeu do seu tempo para calorosamente receber o grupo.
Junto do jazigo, foi realizada a leitura expressiva do poema de Primo Levi “Se isto é um Homem”, que se refere à desumanidade e à indiferença face à dor e ao sofrimento nos campos de concentração e de extermínio, no contexto da Segunda Guerra Mundial.
Na Casa do Passal, os alunos revelaram-se interessados e empenhados em continuar a conhecer a história do Cônsul, nomeadamente as consequências da sua desobediência à Circular 14 emanada pelo regime do Estado Novo e o destino da sua família. A perspetiva da requalificação do interior da Casa e a futura musealização foram outros assuntos que suscitaram a sua curiosidade.

Os grupos mostraram uma atitude respeitosa e de admiração por Aristides de Sousa Mendes e levaram, seguramente, a mensagem para as suas vidas: o testemunho da sua ação corajosa e os valores que a fundamentaram. O grupo de professores presente sublinhou a necessidade de, nos dias de hoje, erradicar ódios e cultivar a tolerância e o respeito pelo outro, não em abstrato, mas na Escola e na comunidade onde estão inseridos. Uma realidade que urge que todos interiorizemos.
 Para memória futura, o Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão foi agraciado, pelo Projeto “Dever de Memória”, com a fotografia dos dois grupos de alunos e um certificado de participação sob a forma de passaporte, elemento emblemático do Projeto.
O grupo de professores e de alunos merecem os parabéns pela iniciativa, estes últimos também pelo “saber estar e ser”, o que nos deixa com a convicção de que é importante educar para a humanidade que há em nós. Fica a esperança de que tenham levado a mensagem para a sua vida e na relação com o próximo. Estamos cientes de que a educação é mais do que o currículo académico e que é fundamental a formação para os valores e para os direitos humanos dos nossos alunos, pois o nosso objetivo é contribuir com mais uma pedra para a construção de um mundo melhor.
Dores do Carmo e Josefa Reis
Fotos: Josefa Reis





domingo, 27 de janeiro de 2019

Evocação do Dia em Memória das Vítimas do Holocausto
















No âmbito do Projeto UNESCO, a evocação do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto foi assinalada no dia 25 de janeiro, numa atividade destinada aos alunos do 9 e do 12º ano do curso Línguas e Humanidades do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, designada “Encontros de autor 2019”, com a historiadora Dra.Cláudia Ninhos, que apresentou uma palestra subordinada ao tema “Portugueses nos Campos de Concentração do III Reich”, temática que tem investigado.

A apresentação, perante uma plateia numerosa e interessada de alunos e professores, iniciou-se com a abordagem sobre o conceito do holocausto (shoah em hebreu) no contexto da 2ª Guerra Mundial e da segregação racial no regime nazi, principalmente o antissemitismo.
Para além desta iniciativa, a comemoração integra, ainda, a exposição ”100 Palavras…umas boas, outras NÃO”, patente no Museu Manuel Soares de Albergaria, de 23 de janeiro a 28 de fevereiro, a qual é constituída por uma série de fotografias que contextualiza o tema da 2ª Guerra Mundial, o Holocausto e um registo de lugares de memória deste acontecimento histórico. Nesse contexto, convidamos o observador a visitar a exposição em epígrafe, que tem como objetivo central evocar o dia 27 de janeiro de 1945, dia em as tropas soviéticas libertaram do campo de concentração de Auschwitz cerca de 7 mil prisioneiros, entre estes 500 crianças, consagrado pela ONU como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

A assinalar o início da comemoração desta efeméride, realizou-se, no dia 16 do corrente, a palestra destinada à turma D do 5º ano, sobre a 2ª Guerra Mundial, o holocausto e o ato humanitário de Aristides de Sousa Mendes, dinamizada pela docente Josefa Reis, membro do Projeto UNESCO. Esta palestra teve maior enfoque na figura, da História Local, Aristides de Sousa Mendes, na Biblioteca da Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, tendo-se desenvolvido na sequência do desafio da Professora Elisa Morais e no âmbito do Projeto "Aristides de Sousa Mendes, ou Humanidade personificada”, que consta de um intercâmbio entre estudantes da Escola de Ensino Elementar Aristides de Sousa Mendes, de Bordéus (França) e esta Escola do Agrupamento.

Toda esta dinâmica de partilha visa a sensibilização dos alunos para a temática da 2ª Guerra Mundial, do Holocausto e dos Direitos Humanos, com o objetivo de alertar consciências numa filosofia de “Estudar o passado, para compreender o presente e prevenir o futuro”. A nossa esperança é a de que as gerações vindouras interiorizem valores e um sentido de vida, para que tais horrores não voltem a acontecer e se construa um mundo de igualdade e de respeito pelo outro.
Texto-Josefa Reis e Dores do Carmo
Fotos e cartaz-Josefa Reis









"Encontros de Autor 2019” com Luize Valente


O dia 9 de janeiro do corrente ano é outro dia que fica nos anais do Projeto “Dever de Memória- Jovens pelos Direitos Humanos” do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal. A escritora Luize Valente, autora de uma “Praça em Antuérpia” e “Sonata em Auschwitz”, entre várias outras obras, proferiu, na Escola Básica Aristides de Sousa Mendes, uma palestra sobre estes dois livros, cujo enredo se insere no contexto do holocausto e se cruza com o ato corajoso e altruísta de Aristides de Sousa Mendes.
Nesta sessão, destinada aos alunos de 3º ciclo, a autora deambulou pelos factos dos seus romances com o rigor histórico que lhes imprime, pois embora seja ficção, há que garantir que todos os detalhes são verossímeis – diz a autora. Abordou a questão dos afetos, do amor e do sentido de humanidade, enaltecendo a decisão do cônsul, que optou, face ao drama dos refugiados em Bordéus, por os salvar, passando-lhes um visto de trânsito, independentemente da sua religião ou nacionalidade e consciente de que desobedecia ao governo do seu país. Em breves e cativantes pinceladas percorreu ambas as histórias, reportando-se à forma como faz as escolhas das personagens e desenvolve a trama na sua criação literária, o que suscitou na plateia a curiosidade e a vontade de ler.
Extrapolando do holocausto dos judeus e de outras minorias, às mãos do regime nazi, ao olhar atento da oradora não escapou o mundo que a rodeia, por isso sensibilizou para a questão do perigo dos extremismos e radicalismos da atualidade, apelando a que estejamos atentos e que lutemos contra qualquer tipo de discriminação e que estejamos alerta às "fake news" que circulam nos media e nas redes sociais.
O estilo coloquial e de grande simplicidade da abordagem, num golpe de mágica, fez o tempo fluir e o encontro com a plateia interessada, de alunos e de muitos professores do Agrupamento chegou ao fim, como todas histórias. Ficou o contributo enriquecedor na memória dos que vivenciaram a sessão.
Uma palavra de gratidão a todos os que contribuíram para o sucesso da atividade, em particular ao Senhor Diretor do Agrupamento, pelo apoio e pelas sábias palavras na abertura da sessão, à equipa das Bibliotecas Escolares, à coordenação e assistentes operacionais do estabelecimento que, como já é seu apanágio, primam para que tudo corra da melhor forma.


Dores Fernandes e Josefa Reis











Exposição Kids4humanrights-Jovens pelos DIREITOS HUMANOS


   
No âmbito do Projeto UNESCO “Dever de Memória – Jovens pelos Direitos Humanos”, foram realizadas várias atividades que culminam na divulgação de trabalhos através da exposição  Kids4humanrights, patente no Museu Manuel Soares de Albergaria de 4 a 23 de janeiro de 2019 e que integram o PAA do ano 2018/19 do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal.
    Em parceria com as Nações Unidas, a Fundação Gabarrón, fundada pelo célebre artista espanhol Cristobal Gabarron, promoveu o Concurso Internacional de Arte que visava celebrar o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, no qual participaram os alunos do 3ª ciclo e do Curso CEF - Operador de Fotografia do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, no âmbito na disciplina de Educação Visual, desafiados e orientados pelas docentes Isabel Várzeas e Josefa Reis, ilustrando direitos e desenhando personalidades de referência na sua defesa e que podem ser apreciados nesta exposição.

    Dos trabalhos realizados, resultou não só a participação dos alunos no referido concurso internacional, como também a elaboração de calendários temáticos do ano 2019 e emblemáticos do projeto UNESCO, organizados graficamente e de forma harmoniosa, pela docente Josefa Reis, com as imagens ilustrativas dos direitos, criadas pelos alunos, dentro dos domínios específicos das disciplinas de Educação Visual, das Artes Visuais e do Design Gráfico, em articulação com os objetivos da atividade.
   Outro dos elementos expostos, e que se pretende itinerante, é a faixa “GENTIL, 1 DEVER de SER”, constituída por cerca de 50 quadrados em tecido, em formato de “retalhos”, e que integra a atividade do Movimento Gentil, no âmbito do programa Zig Zag da RTP2, realizada na Escola Básica Aristides de Sousa Mendes no dia 30 de novembro e promovida pelo Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, em colaboração com o Projeto UNESCO “Dever de Memória – Jovens pelos Direitos Humanos”, certificando a escola com o selo de “Escola Gentil”
    Esta atividade, envolveu todas as turmas do 1º, 2º e 3º ciclo da EB Aristides de Sousa Mendes, as turmas do 2º e 3º ciclo da Escola Básica de Carregal do Sal e as turmas do 3º ciclo da Escola Secundária de Carregal do Sal e contou com o envolvimento da comunidade educativa, através de várias entidades desafiadas a participar que abraçaram entusiasticamente esta iniciativa. Sob o mote “GENTIL, 1 DEVER de SER” foi promovido não só um encontro intergeracional e de inclusão, como também o respeito pela diferença na construção do painel em tecido com mensagens gentis. 

O trabalho realizado excedeu a expetativa da organização, pois os alunos empenharam-se briosamente na tarefa. As instituições da área circundante do Agrupamento desafiadas a participar – a Universidade Sénior de Carregal do Sal, a Cáritas e a APCV de Oliveira do Conde e o Centro Social Professora Elisa de Barros, de Cabanas de Viriato – não se pouparam a esforços para dar o seu brilho ao resultado final. Para a planificação e consecução, com sucesso, desta atividade foram fundamentais os Assistentes Operacionais, a equipa do projeto UNESCO, a Coordenação do referido Estabelecimento, a Direção do Agrupamento, os Professores titulares das turmas do 1º ciclo, os professores de EV e EVT, os restantes professores e os Encarregados de Educação, aos quais fica um agradecimento.
Assim, a fusão destes trabalhos que dá corpo a esta exposição, visa a sensibilização para a necessidade de respeitar os direitos de todos os seres humanos em qualquer região do mundo e assinalar o aniversário dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em prol da construção de um mundo melhor!

Texto Josefa Reis e Dores Fernandes
Cartaz-Josefa Reis